28/06/2024
  • 11:34 Vídeo: Membro do PCC é atingido por 15 tiros na cabeça em Manaus; assista
  • 11:30 PUMP é multada em R$18 mil por doação ilegal a candidato
  • 11:25 Ex-noivo de Djidja, Bruno Roberto recebe prisão domiciliar por decisão judicial
  • 11:21 Prefeito David Almeida inaugura novas estruturas da feira itinerante Prefeito 2 Novo título: Prefeito David Almeida inaugura novos espaços na feira itinerante Prefeito 2
  • 10:04 Forças de Segurança se unem na Festa dos Visitantes em Parintins

Mesmo sendo ex-superintendente da Suframa e contrariando o que dizem os especialistas em Economia, o pré-candidato ao Senado pelo Amazonas, Coronel Alfredo Menezes, decidiu defender a redação de 25% sobre o Imposto de Produtos Industrializados (IPI) decretado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro Paulo Guedes neste fim de semana.

Para Menezes, que se apresenta como o candidato de Bolsonaro no Amazonas, estão exagerando nas críticas.  “Em primeiro lugar, essa redução não representa o fim da Zona Franca de Manaus (ZFM) como alguns políticos oportunistas estão falando. Na realidade, a ZFM sempre foi usada como terrorismo político e estamos em período pré-eleitoral”.

Menezes disse que “o presidente Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes não podem pagar a conta”, referindo-se ao que ele chama de dependência do Amazonas em relação ao modelo que mantém a floresta de pé.

Nas redes sociais de Menezes, mesmo os apoiadores do presidente criticaram a fala. “Vamos fazer o que então, passar fome?”, questionou um internauta.

Clique aqui e veja o vídeo.

Redação 2