23/05/2024
  • 08:10 Botafogo derrota Flamengo por 2 a 0 no Maracanã
  • 08:10 Botafogo vence Flamengo por 2 a 0 no Maracanã
  • 08:09 Botafogo derrota Flamengo por 2 a 0 no Maracanã
  • 08:08 Botafogo derrota Flamengo no Maracanã por 2 a 0
  • 11:32 Michelle Bolsonaro elogia Virada Feminina e reconhece liderança de Cileide Moussallem no AM

Já imaginou você entrar em um consultório para uma consulta médica e ao sair perceber que está sem algum objeto de valor seu? Isso poderia ter acontecido se o médico fosse o estudante de Medicina Lailson Melgueira Navarro, de 26 anos.

Lailson é suspeito de ter furtado R$ 27 mil de uma colega da faculdade enquanto usava o celular dela emprestado. Os furtos ocorreram desde janeiro deste ano, no entanto, apenas no dia 24 de fevereiro a vítima percebeu o rombo na canta bancária.

Segundo ela, Lailson pedia o celular emprestado com a desculpa de que iria fazer uma ligação porque estava sem bateria, ou que iria pedir um uber. Enquanto estava com o aparelho ele descobriu as senhas da colega e começou a fazer as transferências.

Ao todo Lailson fez 10 transferências. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Marcelo Martins, que é titular do 24º Distrito Integrado de Polícia (DIP), o indivíduo teria amizade com a vítima, e, que em diversas situações, ele emprestou o celular dela, alegando que o aparelho dele estaria descarregado, e precisava para fazer pesquisas. De posse da senha do aparelho da mulher, ele transferiu o valor mencionado para conta de outro colega, que, também, foi enganado pelo infrator, e que posteriormente transferiu o valor à Lailson.

Além das transferências, o estudante de medicina também clonou os cartões de crédito da vítima. Entre os gastos feitos com o dinheiro e com o cartão da vítima ele comprou computador, celular, anel de formatura, cordão de ouro, roupas, calçados, além de gastar em festas e corridas de aplicativo.

Durante depoimento realizado na delegacia, na terça-feira (8), o suspeito confessou o crime e se comprometeu a ressarcir os prejuízos da vítima. Ele já tem passagem pela polícia por furto qualificado, pois furtou o notebook de uma professora da faculdade, em 2018, com a desculpa de que queria ajudar uma colega a alterar uma nota da faculdade..

Lailson responderá em liberdade pelo crime de estelionato e ficará a disposição do Poder Judiciário.

Redação 2

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT