28/02/2024
  • 10:30 Pastores investigados pela Polícia Federal têm ligação com Marcos Bastos, do “Pai Resgatando Vidas”; confira vídeos
  • 10:25 TCE apresenta à Aleam minuta do projeto de criação da Ouvidoria da Mulher
  • 10:19 Fernanda Gentil é diagnosticada com paralisia de Bell: entenda mais sobre a doença
  • 10:14 “Bons de briga”: torcedores enfrentam batalhão de seguranças em jogo; assista aos vídeos
  • 07:06 Hemoam convoca doadores do tipo O devido a estoque baixo de sangue

Mesmo sem apresentar nenhuma comorbidade e já vacinado contra a Covid, Luiz Guilherme de Oliveira Neves morreu na última quarta-feira vítima do coronavírus. “Ele não tinha comorbidade. Era extremamente ativo. Brincava na rua, quase não gripava”, explica a tia, Estefânia Vidal.

De acordo com a família, ele foi atendido e liberado de uma unidade de saúde municipal de Belo Horizonte, o que foi um grave erro, acusam os parentes.

Mesmo testando positivo e sem forças, o menino foi mandado para casa. “Ele não consegui nem andar, de tão cansado”, diz Estefânia.

O menino foi imunizado com a vacina da Pfizer no dia 21 de janeiro. A secretaria de Saúde afirma que na UBS ele tinha tosse, febre, cefaleia, dor de garganta e fadiga. A avó disse que os primeiros sintomas apareceram no último sábado (5/1).

“Na minha opinião, eles deveriam ter chamado um auxílio para encaminhar meu neto para um hospital e dar todos os cuidados necessários. Ele não estava bom para ir para casa”, declarou a avó.

Redação 2

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT