29/06/2024
  • 11:34 Vídeo: Membro do PCC é atingido por 15 tiros na cabeça em Manaus; assista
  • 11:30 PUMP é multada em R$18 mil por doação ilegal a candidato
  • 11:25 Ex-noivo de Djidja, Bruno Roberto recebe prisão domiciliar por decisão judicial
  • 11:21 Prefeito David Almeida inaugura novas estruturas da feira itinerante Prefeito 2 Novo título: Prefeito David Almeida inaugura novos espaços na feira itinerante Prefeito 2
  • 10:04 Forças de Segurança se unem na Festa dos Visitantes em Parintins

Manaus (AM) – “Eu não sei. Eu não vi. Eu só fui saber da boca dos outros que a polícia tinha matado o meu filho. Atiraram nele e foram embora. Deixaram ele na lama”, disse a mãe do adolescente de 17 anos, vítima de disparo de arma de fogo, em entrevista a uma emissora de TV local.

O jovem foi baleado na rua T, comunidade Santa Inês, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste, na tarde da última quarta-feira (23).

De acordo com a dona de casa, o adolescente, identificado como Herbert de Oliveira da Silva, que tinha 17 anos, havia saído de casa para trabalhar e foi baleado por uma guarnição da Polícia Militar.

“Meu filho saiu de casa sozinho pra trabalhar. Ele vendia verdura, me ajudava nas despesas e no sustento de casa. Ele saiu só e não sei da onde estão dizendo que meu filho estava outras pessoas junto dele”.

O adolescente não tinha passagem pela polícia e nem envolvimento com tráfico de drogas, conforme relato da mãe. “Maratam meu filho confudido com banido. Ele morreu inocente”.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros, DEHS, foi até o local. O corpo foi removido para o Instituto Médido Legal, após a perícia da polícia civil.

A reportagem do Portal Tucumã entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública, SSP-AM, para apurar a informação ocorrida ontem.

Nota SSP-AM

Em nota, a Corregedoria-Geral da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas diz que está realizando um levantamento dos fatos junto à Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), e tomará todas as providências cabíveis para investigar a suposta participação militares relacionado ao caso. Se confirmado, tomará todas as medidas legais cabíveis para apurar as condutas dos servidores envolvidos.

Redação 2

RELATED ARTICLES