28/02/2024
  • 10:30 Pastores investigados pela Polícia Federal têm ligação com Marcos Bastos, do “Pai Resgatando Vidas”; confira vídeos
  • 10:25 TCE apresenta à Aleam minuta do projeto de criação da Ouvidoria da Mulher
  • 10:19 Fernanda Gentil é diagnosticada com paralisia de Bell: entenda mais sobre a doença
  • 10:14 “Bons de briga”: torcedores enfrentam batalhão de seguranças em jogo; assista aos vídeos
  • 07:06 Hemoam convoca doadores do tipo O devido a estoque baixo de sangue

Poucas horas após o anúncio do reajuste no preço da gasolina, nesta quinta-feira (10), postos de Manaus já começaram a vender o combustível a R$ 7,19. No interior do estado, o combustível é comercializado já é comercializado por R$ 7,99, em Parintins e quase R$ 7,50, em Tefé.

Hoje, a Petrobras anunciou que partir desta sexta-feira (11), o preço médio de venda da gasolina para as distribuidoras passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro, um aumento de 18,8%. Também haverá reajuste no preço do diesel, que passará de R$ 3,61 para R$ 4,51 por litro.

Mas apesar de o reajuste ficar valendo a partir de amanhã, alguns postos de combustíveis da cidade já estão aproveitando para lucrar ainda mais em cima dos consumidores. Em um posto, na Avenida Torquato Tapajós, o valor do combustível já está em R$ 7,19. O valor também é o mesmo encontrado em um posto no Tarumã, na Zona Oeste.

Justificativa da Petrobras

Segundo a Petrobras, os reajustes foram necessários para garantir o abastecimento nacional e também por causa do cenário mundial. “Após 57 dias sem reajustes, a partir de 11/03/2022, a Petrobras fará ajustes nos seus preços de venda de gasolina e diesel para as distribuidoras”, informou a estatal, em comunicado.

“Após serem observados preços em patamares consistentemente elevados, tornou-se necessário que a Petrobras promova ajustes nos seus preços de venda às distribuidoras para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento, pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras” , justificou a estatal, acrescentando que decidiu não repassar de imediato a volatilidade decorrente da guerra na Ucrânia.

Redação 2

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT