28/02/2024
  • 10:30 Pastores investigados pela Polícia Federal têm ligação com Marcos Bastos, do “Pai Resgatando Vidas”; confira vídeos
  • 10:25 TCE apresenta à Aleam minuta do projeto de criação da Ouvidoria da Mulher
  • 10:19 Fernanda Gentil é diagnosticada com paralisia de Bell: entenda mais sobre a doença
  • 10:14 “Bons de briga”: torcedores enfrentam batalhão de seguranças em jogo; assista aos vídeos
  • 07:06 Hemoam convoca doadores do tipo O devido a estoque baixo de sangue
Instituto de Criminalística está em condições precárias. — Foto: Divulgação/MPAM

Ministério Público do Amazonas encontra problemas graves nos prédios do IML e IC após vistoria

Uma vistoria realizada pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM) revelou uma série de problemas nos prédios do Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Criminalística (IC) do estado. A falta de câmaras frigoríficas para armazenar os corpos, a escassez de peritos e a condição precária dos prédios foram algumas das questões apontadas.

A visita, conduzida pelos promotores Iranilson Ribeiro e Márcio Mallo, ressaltou que a ausência de equipamentos básicos nos órgãos compromete o trabalho de investigação realizado pelas forças de segurança do estado.

Segundo Ribeiro, no IML há uma carência de peritos, além da insuficiência de câmaras frigoríficas. Além disso, os laudos de prisões em flagrante não são incluídos nos autos antes das audiências de custódia, impossibilitando a avaliação de possíveis agressões aos detidos.

A situação no Instituto de Criminalística é ainda mais preocupante. De acordo com Ribeiro, o prédio onde o órgão opera não atende minimamente às necessidades dos profissionais. A falta de equipamentos e aplicativos necessários para a realização das perícias impede o avanço das investigações de homicídios e outros crimes graves. Centenas de inquéritos permanecem sem conclusão e o trabalho da Polícia Civil fica comprometido.

O MP chegou a entrar com uma Ação Civil Pública para garantir investigações eficientes, mas o Estado recorreu, alegando que nem o órgão ministerial nem a justiça têm autoridade para interferir na política pública de segurança. Agora, aguarda-se a decisão do Tribunal de Justiça sobre o caso.

Enquanto isso, as investigações de homicídios são prejudicadas pelas condições precárias dos prédios e pela falta de equipamentos e softwares adequados. É necessário que o Estado tome medidas urgentes para garantir uma investigação eficiente e promover a segurança da população.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/12/04/mp-aponta-falta-de-camaras-frigorificas-para-armazenar-corpos-e-peritos-no-iml-e-instituto-de-criminalistica-do-am.ghtml

redacao

RELATED ARTICLES
LEAVE A COMMENT